Como descobrir o que é sucesso profissional para você — e como chegar lá

Há quanto tempo, você não experimenta algo novo? Pode ser uma comida nova, uma banda que não conhecia, um caminho diferente para chegar ao trabalho e, quem sabe, até mesmo um desafio profissional totalmente diferente daquele pelo qual você se preparou durante quase vinte anos de estudo mas que, se encarar, pode despertar novos prazeres que você não imaginava que seriam tão importantes para enriquecer seu autoconhecimento. A ponto de reverter isso em um espaço mais produtivo e inovador para a sua empresa. Com o Vai lá e faz, a SPUTNiK ajuda a rever papéis tradicionais no trabalho, oferecendo práticas de autonomia e criatividade que vão revelar, em cada aluno, superpoderes que estavam ocultos graças às regras da cartilha convencional do trabalho. Com nosso curso, estar aberto a novas experiências e, por elas, colocar a mão na massa sem medo, será um caminho sem volta na trilha por uma trajetória mais criativa e prazerosa. E que vai ganhar novas rotas, inclusive, no que diz respeito em relação ao que entendemos como sucesso profissional. 

As perguntas que respondem o que é sucesso profissional

Já vimos listas de pessoas mais bem-sucedidas antes dos 30, pesquisas que são motivadas, inclusive, por fenômenos como a criação do Facebook por um ex-universitário. Ou por talentos prodígios das artes (como Mozart, que produziu seus primeiros grandes trabalhos quando tinha menos de dez anos de idade). Sucesso profissional, no nosso imaginário comum, sempre esteve associado a façanhas ou trajetórias fora do ponto da curva ou que, no mínimo, exigiram jornadas extenuantes e extraordinárias de seus protagonistas. A ciência também já quebrou a cabeça sobre o tema. Entre os seus conceitos que já ensaiaram para responder a questão, temos, por exemplo, a do ano milagroso:  

o momento em que cientistas, artistas e outros profissionais completam o quebra-cabeça das suas trajetórias, o que pode ser a descoberta de um teorema inédito, a realização de uma obra-prima artística ou, até mesmo, a criação de um negócio de grande valor estratégico competitivo. 

No entanto, estamos cada vez mais imersos em uma sociedade fiel a seus valores, que, muitas vezes, podem navegar contra a maré do conjunto de coisas que associamos ao sucesso, como estabilidade financeira. Esse ponto, inclusive, mostra como o sucesso profissional está sendo ressignificado, sobretudo, pelas novas gerações. Segundo uma pesquisa feita, em conjunto, pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas(CNDL), pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a geração Z (jovens nascidos entre 1995 e 2010) não tem apego a salários altos. Para 42%, sucesso profissional é trabalhar com o que gosta, seguido pelo equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, com 39%, enquanto 32% acredita que é importante obter reconhecimento pelo trabalho. Apenas 31% acredita que sucesso profissional é sinônimo de salários maiores. 

Dessa forma, temos uma sociedade que ainda é altamente competitiva, mas está mais disposta a ressignificar o que é sucesso. Que tal aproveitar-se do momento?

Um primeiro passo pode ser desenhar algumas questões que, lamentamos informar, só você pode respondê-las. Caso esteja em um momento em que é importante repensar o que é sucesso profissional para você, nada de preguiça: separe um caderno, uma caneta, e escreva as questões a seguir, com as respectivas respostas que você for criar para cada uma delas, a partir de uma jornada pessoal de autoconhecimento.

  1. O que é ser bem-sucedido?

O que é sucesso para você? Quando você imagina-se no pódio, a medalha de ouro no seu peito é por qual tipo de conquista? Ou, se você estivesse em uma capa de revista, seria por qual motivo? 

  1. O que traz brilho no olhar para você e, consequentemente, sucesso profissional?

Se dependesse de você, passaria horas exercendo essa atividade. Quando se refere a ela para os amigos, é difícil segurar a emoção ou o entusiasmo. Pode ser um hobby ou até uma área profissional em que você está inserido. Tudo é válido para fugir dos rótulos e encontrar o que realmente traz valor para você.

  1. Na minha balança, o que ajuda a equilibrar o sucesso pessoal e profissional?

O que você faz atualmente tem a ver com as conquistas pessoais que vão além do expediente de trabalho? O seu trabalho é o seu sonho? A pergunta pode parecer desafiadora e, em muitos casos incômoda, mas, se for utópica, está na hora de rever suas colheres. Afinal, você está vivendo, ou está apenas pagando os boletos? Caso se encontre em um abismo entre as duas questões, não tenha medo de recomeçar. Abuse de livros, cursos e mentorias que vão ajudar a monetizar o que realmente acelera o seu coração. 

  1. Quais são os valores que me movem? 

Se, tal como mencionamos, temos uma geração cada vez mais capacitada, mas exigente quanto ao lugar que querem ocupar no mercado, aprenda com esses jovens: pense na cultura de empresa em que está inserido e reflita se, ainda, realmente faz sentido para as crenças pessoais que moldaram sua personalidade até aqui. Se houver uma grande incompatibilidade, não tenha medo de acionar o sinal vermelho, e pensar em soluções que possam ajustar o problema, antes que ele traga efeitos colaterais maléficos, inclusive, para a sua saúde mental.

  1. Como é a minha lista de coisas que desisti por tempo ou por dinheiro? 

“Deixa só passar esse período, vou começar aquele curso de desenho”. “Até poderia pagar, mas tenho outras prioridades”…Quem nunca? Ao fazer uma revisão das coisas que você deixou passar por encontrar, sempre, prioridades que, no fundo, eram dispositivos de falta de coragem para correr atrás do que realmente importa, você pode levar um tremendo susto. Mas não caia da hora: nunca é tarde para correr atrás do que realmente importa. E refazer a trilha pode, até mesmo, trazer mais segurança para alcançar, de fato, o tão falado sucesso profissional.

Faça uma detox: hábitos para abandonar

Uma lista de boas práticas, para obter sucesso profissional, quase nem sempre é o suficiente para encontrar o caminho certo. Diversos hábitos podem nos levar para endereços errados que, com o tempo, revelam-se sem saída. É necessário estar preparado para identificá-los — e eliminá-los — o quanto antes. Selecionamos os mais desafiadores: 

Procrastinação

Há muitas causas para a procrastinação, que, quase sempre chega sorrateira e disfarçada de argumentos sedutores — mas que, a curto prazo, demonstram ser falaciosos e nocivos. Manter-se vigilante contra o problema pode ser um desafio espinhoso no início mas, acredite, vai facilitar e muito para que você tenha o foco e o gás necessários para correr atrás do que realmente importa. Instale aplicativos de gerenciamento de tempo, compre uma agenda, dê um tempo das redes sociais. Estude formas de fazer, da procrastinação, uma pedra fácil de ser tirada do seu caminho.

Acúmulo de tarefas e de funções

Aprender a dizer não pode ser, com certeza, um atalho para o seu sucesso profissional. Ao reconhecer que você não pode abraçar o mundo, novos caminhos são abertos para as tarefas que realmente devem ser prioridade. Portanto, delegar tarefas para os colegas pode ser um grito à liberdade que está armazenado aí há tanto tempo, ao mesmo tempo em que faz muito bem à saúde.

Viver com a agenda lotada — inclusive aos finais de semana

Ter a mente ocupada 24 horas em sete dias da semana não é nem um pouco saudável e, a longo prazo, prejudica a produtividade. Mesmo assim, estamos falando de um problema que é vivenciado por milhares de pessoas, que acabam sendo vitimadas por uma condição que até mesmo a Organização Mundial de Saúde já reconheceu como uma das principais causas de problemas muito sérios que comprometem a saúde física e mental no trabalho, o burnout. Respeite os sábados e domingos, e os reserve para famílias, amigos e, de novo, à experiência de coisas — aqui, entenda-se por viajar para novos cantos, assistir a um novo filme, ter contato com levezas da vida que ampliam a visão sobre o lugar que queremos ocupar no mundo, ao mesmo tempo em que aquecem o coração.

Dirija um novo olhar à ideia de meritocracia

Hoje, temos um ambiente corporativo mais sensível  em relação às desigualdades que permeiam nossas relações humanas em todos os âmbitos — político, econômico, social e, por que não, também afetivo. Dessa forma, a ideia de que é possível conquistar algo puramente por mérito, sem levar em conta os vieses e arbitrariedades que nos cercam, está cada vez mais ultrapassada, cedendo lugar a noções de equidade que nos ajudam a entender as nocividades de acreditar e defender que o sucesso profissional só depende do indivíduo, quando, para mulheres, pessoas com deficiência, negras e de outras etnias, a noção de meritocracia e as barreiras sociais que as acompanham, definitivamente, não conversam.

Saia da zona de conforto

Vivemos a era do Lifelong Learning Experience. Permita-se a não ficar de fora dela. A transformação digital já é uma presença marcante em nossas relações, inclusive profissionais. Não tenha medo de encarar técnicas que, anos atrás, você poderia  considerá-las aquém da sua capacidade de aprendizado. Aproveite a facilidade ao acesso ao conhecimento e tire, da gaveta, aquele sonho antigo de aprender coisas que, hoje, podem levar você a construir uma rota surpreendente rumo a sua ideia de sucesso profissional.

Não há uma fórmula exata para o sucesso profissional. Hoje, já aceitamos formas diversas de obtenção de conhecimento e de outras experiências de vida que, muitas vezes, fogem do clássico roteiro escola-faculdade-estabilidade-financeira. Abrace as surpresas da vida e arrisque sem medo. O importante é encarar a jornada como um aprendizado duradouro, em que o grande diploma é o baú de memórias que guardará, para sempre e a sete chaves, a essência do que somos e do que dá significado ao nosso lugar no mundo. 

Deixe uma resposta